Gestão Avançar na Luta

REDES SOCIAIS

17 de Dezembro de 2017 | Domingo

Sindicatos mantêm mobilização contra a reforma da Previdência nesta terça


Compartilhe

Boletim 1627 - Salvador, 04 de dezembro de 2017  

Apesar do comunicado das centrais sindicais suspendendo a greve geral nesta terça (05), haja vista o governo ter adiado a votação da reforma da Previdência - que estava marcada para ocorrer na quarta (06) -, as entidades resolveram manter a agenda de mobilização que já estava prevista. A ideia é fazer um dia de luta e acumular forças para barrar a tentativa da base governista de aprovar o texto no dia 12 de dezembro.

Com isso, ficam mantidas as atividades em Salvador. Às 6h, acontece manifestação em frente ao Shopping da Bahia (antigo Iguatemi) e, às 15h, uma passeata no centro da cidade, com saída da praça do Campo Grande. O Sindsefaz convoca os fazendários para participarem e está organizando a caravana saindo de sua sede, na Pituba, às 14h30, nesta terça (05), para o ato da tarde.

Projeto é nocivo
Apesar de ter sofrido mudanças em relação ao texto original, apresentado no início do ano, o projeto de reforma da Previdência continua bastante nocivo aos trabalhadores, em especial aos servidores públicos. Pela proposta, a idade mínima para a aposentadoria será de 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres. O tempo de contribuição mínimo dos servidores foi mantido em 25 anos, enquanto a dos empregados do setor privado ficou em 15 anos, o mesmo prazo exigido hoje.

A transição prevê que, em 2018, homens e mulheres do setor privado terão de ter 53 e 55 anos, respectivamente, para obter a aposentadoria. No caso dos servidores, o limite é 55/60. As idades sobem um ano a cada dois anos. Em 2020, na área privada, para se aposentar, mulheres terão que ter 54 anos e homens, 56. E assim segue-se até que em 2038 se alcance os 65 anos.